Por que as mulheres desmaiavam tanto?

Por que as mulheres desmaiavam tanto?

As damas bem-criadas dos anos 1800 viviam lutando para se manter conscientes quando passavam pela mais simples descompensação emocional ou física e por isso se dizia que “caíam como moscas”. Ao longo dos anos, houveram muitas teorias acerca do que desencadeavam desse “fenômeno”, desde seus trajes até uma convenção social. Veja o porquê:

fainting-woman

Cair como mosca era chique!

1) Corsets ou cintas

As mulheres do século XIX frequentemente usavam corsets, que eram feitos de algodão resistente ou couro estruturados com ossos de baleia, marfim ou madeira. Embora o propósito da peça fosse atribuir uma silhueta “reta” ou até conferir curvas extras afinando a cintura por meio da constrição, o corset era a causa de pelo menos alguns desmaios. Pra se ter uma ideia, era comum que meninas eram treinadas a usar  essas peças desde muito pequenas, num “treinamento de cintura”.

child-corset

Propaganda de cintas infantis

Como resultado dessa “imposição” da moda, ao longo dos anos os corpos dessas mulheres mudaram: suas costelas foram deslocadas, órgãos comprimidos contra as costelas como os pulmões, outros órgãos foram empurrados para baixo no abdômen. Além da dificuldade para respirar, o coração tinha dificuldades para bombear o sangue e os intestinos para digerir e processar o pouco alimento que ingeriam.

2) Excesso de roupas

Embora o argumento da cinta seja muito válido, já que impedia o funcionamento normal dos órgãos, uma outra razão para esses desmaios é baseado na moda: muita roupa. Uma mulher bem-vestida, mesmo durante o verão, além da maldita cinta ela usava calcinha, sutiã, uma saia muito volumosa com preenchimento de crina de cavalo pra dar volume, um saiote com aros de ferro (pra suportar a saia) e chapéu. Algumas desmaiavam por calor, outras pelo excesso de peso das camadas de roupa. Por falar nisso, tanta roupa também era perigoso por outros motivos, como incêndio. A esposa do poeta inglês Henry Wadsworth Longfellow morreu tragicamente queimada quando acidentalmente derrubou um fósforo aceso em sua saia – não deu tempo de apagar as chamas ou tirar a roupa. =/

1890

Look do dia

3) Envenenamento acidental

Outro ponto que possivelmente contribuía para passarem mal era o envenenamento crônico. Apesar de no Século XIX já saberem que arsênico era tóxico, não sabiam dos efeitos prejudiciais dos seus vapores aos quais a população era frequentemente exposta, já que era amplamente usado na indústria, desde a fabricação de tecidos, tintas, papéis (inclusive os de parede e os para embalagem de alimentos).

Além do arsênio, outras substâncias como o mercúrio e o chumbo também eram amplamente empregados em cosméticos, maquiagens e tinturas de cabelo. Juntas, essas substâncias podem ter contribuído para que mulheres ricas da era Victoriana tenham sofrido mais convulsões que as pobres, uma vez que se tratavam de produtos de luxo.

4) Era chique

Não suficientes todos os motivos acima – o que reforça que eram de fato recorrentes-, o fato é que já se esperava que as mulheres, principalmente as da high-society, agissem de maneira delicada como uma flor e os desmaios faziam parte dessa cena toda como um meio de demonstrar uma reação de extrema emoção frente a um evento particular.

E, como é comum na sociedade até hoje, tudo o que a “nobreza” faz é notável, copiável e digno de valor, o “desmaio” passou a ser considerada uma ferramenta chique para sair de situações controversas e passou a ser, quando não se tratasse de um desmaio literal, de certo modo parte da Etiqueta feminina da época.

Ai…acho que vou…ploft!

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerdMe chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd