Amores que mudaram a História – Lavoisier e Marie-Anne

Amores que mudaram a História – Lavoisier e Marie-Anne

Esta semana, entre os dias 08 e 12 de junho, faremos uma série de postagens sobre Amores que mudaram a História! Afinal, muitas das conquistas até hoje vistas foram alcançadas pela força da união! Para dar início à série, escolhemos Lavoisier e Marie-Anne. Quer ver? Então vem!

Tenho certeza de que você já ouviu sobre Lavoisier, o pai da Química moderna responsável pela enunciação da lei de conservação da matéria ou lei de conservação das massas “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. Lembrou?

Então, o que muitas vezes passa batido quando nos contam sobre os feitos do Pai da Química é que ele tinha uma mulher porreta do lado dele chamada Marie-Anne Paulze que se tornou mais conhecida como Madamme Lavoisier. Aqui vamos chamá-la de Marie, ok?

David_-_Portrait_of_Monsieur_Lavoisier_and_His_Wife

Retrato de Lavoisier e sua esposa – Jacques-Louis David, 1788.

Em relação à pintura acima, de Jacques-Louis David, podemos notar que Marie-Anne apoia-se levemente no ombro de seu marido ao passo que reclina-se em sua direção. Esta é uma menção visual ao seu constante apoio e devoção à ele e infere sua participação nos experimentos. Também é possível perceber o olhar de admiração e respeito de Lavoisier à figura de Marie-Anne, uma vez que está representado sentado com o olhar voltado para cima em direção ao rosto dela ao mesmo tempo que a pena em sua mão indica que ele é quem conduz os estudos científicos, imprimindo o sentimento patriarcal da época do homem como líder.

Bem, o casamento deles foi à moda da época: arranjado. Não foi amor à primeira vista não,  – mas foi melhor do que o velho que tinham arrumado pra ela antes -, então ela escolheu Lavoisier, que assim como seu pai, também era membro da  Ferme Général (espécie de sociedade privada que apoiava o Rei e que tinha o direito de cobrar impostos em nome da coroa francesa).

Logo depois de conhecer e casar-se com Lavoisier, Marie interessou-se por suas pesquisas, estudou Química e passou a ser sua colaboradora nos laboratórios onde faziam experimentos bastante elaborados para a época e detalhavam cada resultado. Também contribuía realizando traduções de inglês e latim para o francês e vice-versa e atuava como ilustradora para as publicações. Como parte de alta-classe francesa, também promovia eventos que serviam para divulgar os avanços científicos feitos no laboratório.

lav4

Ambientação de um laboratório similar ao de Lavoisier. Fonte

Contudo, em meio à Revolução Francesa, Lavoisier e seu pai foram presos por serem membros da Ferme Général  e foram decapitados na Place de la Revolución. Ela até tentou outras medidas como julgamento exclusivo, mas nada feito. O matemático francês Joseph-Louis Lagrange, contemporâneo ao casal disse quando soube de sua morte:

“Só um minuto para cortarem aquela cabeça, e talvez cem anos não nos dêem outra igual.”

Talvez seja a partir daí o maior feito de Marie. Após a morte de seu marido e companheiro, ela fez tudo ao seu alcance para reunir os relatórios (especialmente aqueles confiscados durante sua prisão) e conseguiu em 1803 publicar o livro chamado Memoires de chemie com suas próprias economias. Se ela não tivesse sido persistente, confiante no material desenvolvido por anos pelos dois e não publicado o livro, haveria uma perda inestimável para a Química Moderna. Valeu Mariiiiieeee!!!

Imagine só se toda a pesquisa deles tivesse sido perdida? =O

Amanhã tem mais, pessoal!

PaleoNerd

 

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerdMe chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd