Os gregos ERAM GREGOS?

Os gregos ERAM GREGOS?

A cultura grega exerce enorme fascínio sobre nós e, por esta razão, está sempre presente em filmes, livros, animações, HQs e, é claro, games! Mas você já se perguntou se os gregos eram realmente “gregos”?

Mas, por causa dessas obras de entretenimento, costumamos fazer interpretações simplistas e até mesmo equivocadas sobre esta interessante civilização da Antiguidade, como acreditar que eles viviam em grandes centros urbanos, nos quais as construções eram compostas por grandes prédios grandes, habitados por pessoas com corpos maravilhosos que ficavam filosofando o dia todo.

Vista do interior da seção separada para a Civilização grega, no Museu de Arqueologia, em Istambul.

Vista do interior da seção separada para a Civilização grega, no Museu de Arqueologia, em Istambul.

A primeira coisa que precisamos ter em mente para entender melhor esta civilização é que eles jamais se chamaram por “gregos”! Na verdade esta sociedade se entendida como “o povo de Hélade” (e por isso poderiam ser entendidos como helenos), enquanto o termo grego foi imposto pelos romanos, quando dominaram esta região de “Graetia”, muito mais tarde.  Outro ponto importante a ser lembrado reside no fato de esta civilização NUNCA TER SE ORGANIZADO SOB UM IMPÉRIO UNIFICADO, e sim ter funcionado em torno da organização de cidades-estado autônomas entre si – que se relacionavam por meio de uma língua e cultura compartilhada -, chamadas Pólis.

Estes lugares consistiam num grande espaço rural, onde eram praticadas atividades como a agricultura e o pastoreio que circundavam um pequeno centro urbano, no qual podiam ser encontradas a acrópole (fortificação e centro do culto politeísta helenístico) e a ágora, onde eram realizadas práticas como o comércio e a realização das assembleias – debates que buscavam oferecer medidas para aprimorar o convívio entre os membros desta sociedade.

Por isso, se toda aquela ideia que você tem dos gregos, está baseada na animação norte-americana Hércules ou no filme “Pierce Jackson: o ladrão de raios” pode tirar o seu cavalinho da chuva, porque este material serve muito mais para reforçar ideias equivocadas, do que auxiliar no desenvolvimento de um olhar histórico. Como é o caso do jogo Godo f War que, apesar de ser um TREMENDO JOGASSO, cria a ideia dos gregos como pessoas movidas pelo ódio e vinganças, além de levar alguns manés desavisados a acreditarem que realmente existiam divindades que se relacionavam com os humano…. sim, eu já ouvi isso!

From the side, the Parthenon shows its war wounds. The worst affront came when the Venetians bombed the temple in 1687 in order to defeat the Turks. Their success lasted a ear, but the Turks returned to buikld a mosque in the center of the Parthenon.

Vista noturna da lateral do Parthenon, o qual está situado na acrópole ateninense. O fillme Pierce Jackson e o ladrão de raios tem uma sequência que se passaria no interior deste templo, para a qual o diretor de arte utilizou referências de estudos arqueológicos. Mas a história da película é uma “viagem sem pé-nem-cabeça”! Em 1687, os soldado de Veneza atacaram a cidade para expulsar os turcos, que haviam ocupado a região. Em meio a isso, os turcos decidiram implodir a construção…. #guerraéumcocô

Portanto, quando quiser retomar a história dos gregos (ops! Helenos…) procure lembrar que este grupo funcionava como uma “colcha de retalhos”, ou seja, era composto por comunidades política e economicamente autônomas, as quais relacionavam-se por meio do comercio e de realizações culturais relacionadas ao politeísmo do qual compartilhavam. Além do mais, leve em consideração que a fantástica arquitetura grega revela algo que  era parte fundamental no pensamento desta pessoas da antiguidade: a ideia de harmonia e equilíbrios. Isto porque defendiam que as pessoas deveriam buscar, a todo custo, uma harmonia com o universos (cosmos) e isto seria refletido na proporcionalidade das linhas retas de suas construções, cuidadosamente criadas e decoradas de forma muito colorida. Hoje estes edifícios são brancos porque a tinta não resistiu aos efeitos do tempo, cabeçudo!

Se liga! Os gregos não eram todos maravilhosos assim!! Isso é parte do IDEAL HEDONISTA que eles apresentavam em suas obras de arte. Os gregos tinham tanta vontade de representar a perfeição do corpo, que chegavam a representar músuculos que sequer existem no corpo humano. #bombadõesdaantiguidade. Esta imagem foi tirada em 2013, durante a reinauguração do Museu Nacional Regio Calabria, na Italia.

Se liga! Os gregos não eram todos maravilhosos assim!! Isso é parte do IDEAL HEDONISTA que eles apresentavam em suas obras de arte. Os gregos tinham tanta vontade de representar a perfeição do corpo, que chegavam a representar músuculos que sequer existem no corpo humano. #bombadõesdaantiguidade. Esta imagem foi tirada em 2013, durante a reinauguração do Museu Nacional Regio Calabria, na Italia. FONTE

E se havia alguém que ficava “filososfando” o dia todo, eram somente os eupátridas (CIDADÃOS GREGOS, ou seja, homens, maiores de 21 anos e filhos de pai E mãe atenienses). Uma mínima porcentagem desta sociedade que tinha o “dever” de se manter em ÓCIO, ou seja, não poderia realizar nenhum outro trabalho a não ser pensar em formas para melhorar a sua Pólis e participar da DEMOCRACIA grega – que por sinal, não tem nada a ver com a democracia contemporânea em que vivemos, já que a primeira era direta e excludente, enquanto a segunda é indireta e abrangente. A esmagadora maioria da população ficava responsável por trabalhar e pagar impostos que sustentavam esta aristocracia, além de ser composta, por sua vez, por uma grande quantidade de pessoas que eram escravizadas e realizavam as mais variadas funções para os seus senhores.

Aff, mano! A PALEOCHEFE, quando tá brava, me assusta mais que o Krathos!!!!  FONTE

Aff, mano! A PALEOCHEFE, quando tá brava, me assusta mais que o Krathos!!!! FONTE

Bom pessoal, acabou meu espaço para continuar escrevendo e se eu aumentar esse texto, vou apanhar da PALEOCHEFE com o rolo de macarrão. Relaxem , pois haverão muitas chances para falarmos sobre a interessantíssima cultura helenísticas.

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerd

Me chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd

Leave a Reply