Games INDIE

Games INDIE

Indie Games nacionais

O termo indie games vem do uso comum conferido aos videogames de produção independente, os quais são desenvolvidos por indivíduos ou pequenos grupos, sem o apoio financeiro de uma grande companhia voltada para a publicação e marketing destes produtos. Tais produções só foram possíveis a partir do aparecimento de redes sociais que possibilitaram a venda destes games on line, como por exemplo a Steam – talvez a mais conhecida no Brasil –,Full Games, Nuuvem e Splitplay.

Contando somente com a paixão por jogos e a vontade de adentrar por este mercado, o baixo orçamento força estas pessoas a encontrarem soluções simples para problemas no desenvolvimento, ao mesmo tempo em que deixam a criatividade dos grupos livre para introduzir inovações na jogabilidade e gráficos. Todavia, a competitividade desleal com as grandes produtoras dificulta o desenvolvimento de tais projetos e torna ainda mais complicado obter lucros para desenvolver novas ideias.

Entretanto, mesmo com todas adversidades, esta modalidade de produção de jogos insiste em crescer e começa a ganhar cada vez mais espaço, uma vez que vem a se organizar enquanto comunidade. Fato que resulta na criação de festivais e feiras voltados apenas para este nicho de mercado, como é o caso de Independent Games Festival e a IndieCade.

Independent-Games-Festival-Image-Credit-to-indiestatik

No Brasil, as dificuldades são ainda maiores pela falta de patrocinadores e as dificuldades em obter hardware potente e licença de uso de softwares a um custo que torne possível ser competitivo no mercado. De qualquer forma, a Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (ABRAGAMES) começa a despontar como uma tentativa de agregar alguns destes jovens programadores e associar-se a instituições privadas e particulares de ensino e pesquisa, como maneira de fomentar este mercado no Brasil.

AbraGames

Além disso, é possível notar os primeiros passos na formação de uma associação dos desenvolvedores indies por meio da International Game Developers Association (igda) que, no caso da filial de São Paulo, oferece incentivo na organização de eventos para desenvolvedores, assim como estabelece parcerias com instituições educacionais como a FATEC e oferece notícias sobre editais realizados no Estado de São Paulo.

maxresdefault

Neste sentido, os produtores nacionais de games começam a abrir espaço para a demonstração destes trabalhos em lugares como a Brazil´s Independent Games Festival (BIG) e, puderam contar com o apoio da Brasil Game Show (BGS) para obterem um espaço e realizarem a exposição de suas produções. De qualquer forma, ainda falta incentivo para as publicações nessa área e, por este motivo, procuramos agir neste sentido, apontando já algumas possibilidades para se conhecer melhor acerca das produções nacionais indies. Tanto que, no ano passado, publiquei pela Revista Game Sênior uma série de aritgos que falavam sobre os GAMES INDIES BRASILEIROS que participaram na BGS. Acesse lá!.

r

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerdMe chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd

Leave a Reply