13 de Julho: Dia do Rock e suas origens

13 de Julho: Dia do Rock e suas origens

Dia 13 de Julho é conhecido como o Dia Internacional do Rock. Mas como este dia foi eleito para homenagear este este estilo musical? Curiosamente, foi em razão de uma campanha de ajuda humanitária, o Live Aid, cuja proposta era arrecadar fundos para o combate à fome na África por meio de um grande show com os maiores astros da música no ano de 1985 que ocorreu simultaneamente nos EUA e na Inglaterra no dia 13 de julho. Apesar de ser uma data Internacional ela tem maior destaque no Brasil, onde há uma grande divulgação por meio das emissoras de rádio.

Cartaz do Live Aid, 1985. Fonte

Cartaz do Live Aid, 1985. Fonte

O termo rock tem vários significados na língua inglesa mas em relação à música, tem o sentido de agitar, sacudir, “causar” e até mesmo “estado de êxtase”, enquanto o roll  é relacionado à expressão “have a roll”, que em tradução livre significa fazer sexo, transar. Há autores que indicam que o termo roll refere-se ao movimento do navio ou dos trens, rocking’n’rolling, algo como “quebrando e seguindo”.

O Rock’n’roll é o gênero musical que desde sempre foi caracterizado pela quebra de paradigmas, rebeldia e polêmica. Tem sua base musical na música negra dos EUA, como o gospel, R’n’B, country, folk, boogie-woogie mas principalmente no blues! Yeahhh, blues – este que por sua vez já era resultado da música africana com a europeia. A relação entre o rock como conhecemos e o blues é tão visceral que você pode reparar que a “formação básica” de uma banda de rock é a mesma de uma banda de blues: baixo, guitarra, bateria, piano e voz.

B.B. King tocando guitarra elétricae fumando, 1969. Fonte

B.B. King tocando guitarra elétrica e fumando, já em 1969. Fonte

É preciso frisar que o rock teve sua origem numa época imediata ao pós-segunda guerra mudial. A juventude passava por um momento de “reencontro” com sua identidade, devastada pelas memórias da guerra ao mesmo tempo que encontravam-se imersos numa onda de valorização do consumismo e de várias inovações resultantes do desenvolvimento científico-tecnológico.

Como dito anteiormente, a aproximação da música da cultura afro-americana, vista na época como um tipo musical marginalizado já era motivo suficiente para polêmica entre as famílias tradicionais americanas. Como se não bastasse isso, foi nesta mesma época em que passou a ser mais difundida (e vendida) a guitarra elétrica, considerado um instrumento “do capeta” em razão de seu som agudo, potencialmente ampliado através das caixas de som, ensurdecendo pais, mães, vizinhanças inteiras. Imagina só….além de tocar um tipo de música marginalizada, os jovens usavam um instrumento do capiroto que fazia bons-moços virarem bad-boys e as saias das meninas rodarem.

Gibsom Les Paul, 1954. Fonte

Instrumento de possessão do capeta. Guitarra elétrica custom Gibson Les Paul, 1954. Fonte

Elvis Presley era considerado pelos pais um pervertido em razão da dança que foi sua marca, altamente sensual pra época e chegou a ser apelidado como “Elvis, the pelvis“, sabia dessa? hahahaha

Shaking, rocking and rolling! #asminapira

Shaking, rocking and rolling! #asminapira

O vídeo abaixo é um compilado de várias cenas de filmagens da época e de cenas de filmes ambientados nas décadas de 50 e 60. O mais legal é ver as declarações na mídia sobre o rock, como por exemplo “Rock’n’roll é o sinônimo da decadência desta geração” , “a prova de que o rock é maldito é a batida, que fica na cabeça” ou “isto me enoja” huahuauhhua

O rock and roll tornou-se um sucesso imediato nos Estados Unidos, repercutindo no mundo todo. Os efeitos sociais do rock and roll foram massivos mundialmente, influenciando estilos de vida, moda, atitudes e linguagem. Além disso, pode ter sido fator de influência para movimento dos direitos civis, porque tanto os jovens norte-americanos brancos como os negros gostavam do gênero, que no futuro ainda viria a gerar muitos estilos musicais: soul music, funk, progressivo, punk, heavy metal e alternativo.

Visto isso, é possível considerar o rock muito mais que um gênero musical: o rock foi a base para todo um movimento jovem pelo QUESTIONAMENTO, visto inicialmente pela sociedade como REBELDIA e até maldição. A verdade é que o mudo só muda com o “e se?” e aquela foi uma geração cheeeeia de questionamentos acerca do “modo de vida ideal”, de quebra de amarras e paradigmas sociais!

 "Quer rock? Então tem que quebrar as regras!" -  School of Rock, 2005

“Quer rock? Então tem que quebrar as regras!” – School of Rock, 2003.

Mais uma vez, viva o Rock! o///

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerdMe chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd

Leave a Reply