Tabajara shop: gaiolas para bebês

Tabajara shop: gaiolas para bebês

Estamos carecas de saber que a necessidade é a mãe da invenção, certo? Certooo! Mas e quando criamos coisas que são simplesmente malucas e perigosas, como por exemplo uma gaiola para bebês? Não estou falando do cercadinho ou “chiqueirinho”, mas de uma gaiola de aço e alambrado para “pendurar” os coitados para fora da JANELA do quarto pavimento de um prédio!

baby cages 2

Babá observando bebê na janela, dentro de uma “baby cage”. Fonte

Logo no início do Século XX as grandes cidades já enfrentavam problemas de falta de espaço, fortemente relacionados ao aumento populacional e ao desenvolvimento da construção civil, capaz de construir prédios cada vez mais altos. Com moradias cada vez menores e a criatividade do homem moderno cada vez maior em elaborar soluções para os problemas que vinham com a modernidade, foi criada a tal “gaiola para bebês” em 1922 nos Estados Unidos, por uma dona de casa chamada Emma Read. Abaixo, os desenhos técnicos registrados na patente do invento:

US1448235-0

Desenho técnico de montagem e instalação das “baby cages”. Folha 01/02. Fonte

US1448235-1

Desenho técnico de montagem e instalação das “baby cages”. Folha 02/02. Fonte

Mas foi na Inglaterra que a ideia pegou de verdade, principalmente por conta da distribuição dos “equipamentos” pelo Chelsea Baby Club para famílias que não tinham jardim ou fácil acesso à áreas externas. Numa Londres superpopulosa, esta solução caiu como uma luva para as famílias (geralmente numerosas) que moravam em apartamentos super pequenos.

Bebê na janela em uma gaiola para bebês. Fonte

Bebê na janela em uma gaiola para bebês. Fonte

A justificativa para o produto, além da falta de espaço, era baseada no argumento mais forte para qualquer mãe/pai: a saúde de seus filhos. Sendo que, ao adquirir e instalar o equipamento, seus filhos teriam mais espaço para brincar, receber luz do sol direta, “ar puro” (numa cidade cuja qualidade do ar era similar a uma chaminé) e acompanhar o movimento da cidade. O que eles não frisavam era o risco de acidentes com os pimpolhos, né?!

Acompanhe a propaganda da época no vídeo abaixo:

Será que esta geração pelo menos foi a que menos desenvolveu medo de altura? Ou a mais traumatizada? huahuhua

Gostaram de saber de mais essa curiosidade? Se pudesse, o que inventaria para solucionar um problema atual?

Até a próxima, Paleoneeeeeerds!!!!

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerdMe chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd

Leave a Reply