Mini-série: Flávio de Carvalho (S01E01)

Mini-série: Flávio de Carvalho (S01E01)

Você já ouviu falar em Flávio de Carvalho?

Se você não sabe, este cara foi um importante artista brasileiro, sobre quem me dedicarei a falar nesta “mini-série” de artigos e que considero muito importante para trazer à todos.

Flávio de Carvalho é apontado por alguns intelectuais como um “artista-multimídia” e parecia não se dar por satisfeito com apenas uma forma de manifestação artística, motivo pelo qual se dedicava aos mais variados processos artísticos como a pintura, escrita, dança e à arquitetura.

Dotado de uma personalidade complexa – que foi denominada por Le Cobusier como de um “revolucionário românico” – este artista fez questão de importunar a reacionária elite brasileira, por meio de seus questionamentos ao comportamento e aos aspectos da moralidade social. Algo que terminou por lhe render a imagem de absoluto transgressor, uma vez que gerava grande polêmica em suas intervenções que, na maioria das vezes, tiveram suas finalizações acompanhadas da intervenção do poder coercitivo da polícia.

O croqui deste artista levanta reflexões sobre os costumes e convenções sociais da sociedade de sua época.

O croqui deste artista foi parte de sua “Experiência nº 3” e levanta reflexões sobre os costumes e convenções sociais da sociedade de sua época. FONTE: Cruesp.sp.gov.br

Para entender as ideias de Flávio de Carvalho, é preciso retomar aspectos do longo governo de Getúlio Vargas, que subiu ao poder e deu início a um governo que estabeleceu características industriais ao país por meio de um governo forte, centralizado e autoritário – pautado num intenso controle sobre os meios de comunicação. Neste momento, a política nacional adquiriu características populistas e influências de sistemas autoritários que se desenvolviam pela Europa como alternativa à crise econômica mundial. Tal fato favoreceu a elaboração de todo um discurso pautado na luta contra a ameaça comunista como forma de legitimação para as práticas centralizadoras deste governante.

Neste mesmo período houve a ocorrência de um movimento arquitetônico no Brasil, marcado pela construção da antiga sede do Ministério da Saúde e da Educação, em 1935, no Rio de Janeiro. Também conhecido como Edificio Capanema (MEC), esta obra foi projetada pelo arquiteto Lúcio Costa e apresenta características do modernismo arquitetônico brasileiro.

Construído em 1935, o edifício Capanema serviu como sede do Ministério da Educação e Saúde durante décadas. Foto:09/05/1957. MinistÈrio da EducaÁ„o. Pal·cio Gustavo Capanema. Centro do Rio de Janeiro - Foto Arquivo / Agência O Globo FONTE

Construído em 1935, o edifício Capanema serviu como sede do Ministério da Educação e Saúde durante décadas. Foto:09/05/1957. MinistÈrio da EducaÁ„o. Pal·cio Gustavo Capanema. Centro do Rio de Janeiro – Foto Arquivo / Agência O Globo FONTE

Dentro deste contexto, este edifício atendia os interesses do governo de Getúlio Vargas ao transmitir, de maneira sutil, uma associação com as ideias de solidez, modernidade, eficácia, produtividade, funcionalidade e poder. Flávio vivia em meio a este intrincado processo e, com suas manifestações, terminava por criticar aspectos da rígida sociedade brasileira da década de 30.

Flávio de Carvalho é visto por diversos intelectuais como a precursor da performance no Brasil e suas intervenções revelam seu encanto por entender as tensões que envolviam o indivíduo e a coletividade – ou, como ele mesmo definia: “uma pesquisa da alma”. Denominadas por Carvalho como Experiências, suas apresentações encontravam-se envolvidas por objetivos ulteriores e eram acompanhadas, geralmente, de textos que ele desenvolvia em análise das reações obtidas de seu público.

Flavio de Carvalho também atuou na área de design, ao elaborar móveis. “A arte que interessa é aquela que procura destruir uma suposta verdade”. FONTE: HerançaCultural

Flavio de Carvalho também atuou na área de design, ao elaborar móveis. “A arte que interessa é aquela que procura destruir uma suposta verdade”. FONTE: HerançaCultural

Como o mais famoso de seus textos, podemos citar a “Experiência nº2” que relata uma performance, na qual o artista se lança contra uma procissão de Corpus Christi, em São Paulo, vestindo um chapéu na cabeça e com um andar arrogante contra o fluxo da procissão.

“Tomei logo a resolução de passar em revista o cortejo, conservando o meu chapéu na cabeça e andando em direção oposta à que ele seguia para melhor observar o efeito do meu ato ímpio na fisionomia dos crentes. A minha altura, acima do normal, me tornava mais visível, destacando a minha arrogância e facilitando a tarefa de chamar a atenção.” (Trecho de Experiência nº2)

Apesar de quase resultar em seu linchamento, o artista considerou sua experiência um sucesso para a concepção de um estudo de psicologia das multidões, sobre o qual publicou uma descrição analítica. Como ilustração de sua relação intrínseca com estes trabalhos, Carvalho se recorda, inclusive, de imaginar a própria morte em sua empreitada para fugir da multidão enfurecida; algo que o artista procurou retratar por meio de gravura em sua obra.

Já em sua terceira experiência, denominada, Traje de Verão (1957), consistiu no estudo e elaboração de uma vestimenta masculina que fosse adaptada ao clima tropical e resultou em um saiote curto, com o qual decidiu sair pelar ruas de São Paulo. Esta esperiência foi publicada no artigo “A moda e o novo homem”

No âmbito da pintura, Flávio de Carvalho era adepto do uso de cores intensas, assim como pela aplicação de pinceladas enérgicas e ritimadas que utilizou para  retratar conhecidos artistas e intelectuais comtemporâneos como Burle Marx e Mário de Andrade. Contudo foi com sua série de desenhos em carvão – nos quais retrata os últimos momentos de sua mãe diante da morte – intitulada “série trágica” (1947) que este artista procurou “revelar o Sentido individual do momento da força da vida ou da morte”

Flavio de Carvalho - Série Trágica FONTE

Flavio de Carvalho – Série Trágica FONTE

A arquitetura de Flavio de Carvalho estava direcionada para uma valoração do “psíquico” e tinha, como objetivo desenvolver formas inovadoras de viver e pensar, indicando a possibilidade de expressão da sensibilidade do homem por meio da faixada de construção. Com isso, este artista integrava arte e arquitetura como criações do homem que têm o poder de interferir tanto no espaço real como no imaginário.

Então, o ensaio fotográfico do meu casamento foi justamente na Fazenda Capuava! Porque nós dois gostamos muito da história e do trabalho do Flávio de Carvalho. Coloquei essa foto aí para ressaltar o aspecto da proporção das construções de flávio de carvalho, em relação ao corpo humano. É muito legal, né!? Fotografia por Guilherme Pontes

Então, o ensaio fotográfico do meu casamento foi justamente na Fazenda Capuava! Porque nós dois gostamos muito da história e do trabalho do Flávio de Carvalho. Coloquei essa foto aí para ressaltar o aspecto da proporção das construções de flávio de carvalho, em relação ao corpo humano. É muito legal, né!? Fotografia por Guilherme Pontes

Tal fato é reforçado, quando encontramos características de influências expressionistas em sua casa sede, na Fazenda Capuava, na qual o altíssimo pé direito da construção estabelece um enorme contraste, quando comparado ao tamanho do corpo humano, assim como os aspectos espetaculares obtidos pela iluminação ou mesmo pelo semblante cenográfico que a sala adquiria com a queda d´água, antigamente situada sobre sua lareira.

De qualquer forma, poucos dos seus projetos foram efetivamente construídos, devido a não conformidade com os padrões de consumo da sociedade brasileira deste período apesar de, ironicamente, este artista ser hoje reconhecido como um dos responsáveis pela introdução da arquitetura moderna brasileira.

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerd

Me chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd

Leave a Reply