Loving Vincent: uma animação do C*&¨%$#!

Loving Vincent: uma animação do C*&¨%$#!

No último dia 25 encontrei uma publicação de uma fanpage chamada BrasilART, que descrevia o lançamento de uma animação longa-metragem destinado a homenagear ao importante pintor Vincent Van Gogh. Algo que me deixou realmente animado, uma vez que as técnicas utilizadas na construção do longa são pouco conhecidas do grande público, além de apresentarem uma poderosa dialética com a própria estética desenvolvida pelo artista.

Como um bom fanático por animações que sou e devido a relevância do tema, me propus o desafio de realizar um trabalho investigativo com intuito de oferecer um melhor entendimento sobre o contexto de produção da animação “Loving Vincent” ou, em sua nomenclatura original, “Twój Vincent”.

Titulo de abertura do site da animação Loving Vincent. Fonte

Titulo de abertura do site da animação Loving Vincent. Fonte

Sobre Van Gogh

Vincent Willem van Gogh foi um pintor holandês que viveu durante a segunda metade do século XIX e é considerado pelos autores da História da Arte um artista do Pós-impressionismo, assim como Georges Seurat e Paul Gauguin. Juntos, estes pintores revelavam-se insatisfeitos com as limitações do Impressionismo e, apesar de não compartilharem um objetivo comum, passaram a representar um estágio posterior no qual realizavam a tentativa de levar mais longe os efeitos do que ficou conhecido como a “Revolução de Manet”, cuja obra pode ser entendida com um verdadeiro manifesto de liberdade artística.

Sempre com foco no uso da pintura como forma de expressar suas emoções, Vincent van Gogh iniciou sua carreira artística com certa idade e suas obras revelam um profundo sentimento de insatisfação com os valores da sociedade industrial, associados a um forte sentido de missão associado a religião. Além disso, este artista movia-se em sentido oposto de seus contemporâneos, uma vez que se dedicava a representar o movimento e o êxtase, em contraposição a estabilidade e permanência.

fonte-vga

Com suas pinceladas de movimento ondulante, Van Gogh foi capaz de transpassar uma tempestade de emoções onde a cor, e não a forma, era o ponto determinante do conteúdo expressivo de sua obra. – GOGH, Vincent van Vincent’s Bedroom in Arles October 1888, Arles Oil on canvas, 72 x 90 cm Rijksmuseum Vincent van Gogh, Amsterdam FONTE: Web Gallery of Art

Este artista ficou muito conhecido no público geral por seus dramas psicológicos – que o conduziram a uma tentativa de suicídio – e sua intensa busca pelo encontro com a arte. Outros apenas o conhecem como “o cara que cortou a própria orelha” #SQN.

Sobre a animação

Twój Vincent (Loving Vincent) resulta uma tentativa de reconstrução dramática da vida e morte do pintor pós-impressionista Vincent Van Gogh, por meio de uma estética fundamentada no estilo de pintura à óleo, desenvolvido por este artista. Para isso, a equipe de produção realizou uma profunda investigação sobre 120 das 860 obras produzidas por este artista, assim como o estudo de 800 cartas que foram escritas pelo próprio pintor à um grupo de 20 pessoas que tinham relações próximas com ele.

Aqui é possível ver o detalhe do roteiro e Story Board de Loving Vincent, que servem como norte para todas as realização da animação. FONTE: Youtube

Aqui é possível ver o detalhe do roteiro e Story Board de Loving Vincent, que servem como norte para todas as realização da animação. FONTE: Youtube

Este homérico projeto foi viabilizado pela associação entre duas produtoras muito premiadas em festivais de animação, chamadas Breaktrhu Films e TradeMark Films, que oferecem suporte financeiro e administrativo para a organização deste, que se pretende “o primeiro longa-metragem produzido com a técnica de pintura em óleo sobre tela”. Para quem não manja muito disso, entenda que cada segundo de uma animação é composto por 24 imagens estáticas (chamadas frames) que criam a ilusão do movimento na tela. Neste sentido, cada um dos frames da animação Loving Vincent são pintados à mão em tinta óleo sobre tela. Logo, você pode perceber que foram elaboradas milhares de pinturas para que esta animação tomasse forma.

Loving Vincent

Existe uma verdadeira inocência das pessoas em acreditar que todas animações são completamente feitas nos computadores, já que as mais belas (e premiadas) obras reúnem uma enorme quantidade de técnicas. Aqui podemos ver o processo de filmagens em chroma key, no qual a diretora Kobiela conversa com as crianças e a sala do Departamento de Pós-Produção, onde fica a ilha de edição. Fonte Youtube

Este projeto se encontra em execução já desde o início de 2015, como demonstra o vídeo que a gerente de produção audiovisual Maja Grudzinska havia disponibilizado no youtube. Neste vídeo, é possível acompanhar a realização das “references footage”, ou seja, as filmagens de referência, sobre as quais serão inseridas as artes gráficas em tinta óleo, segundo a técnica de animação em Rotoscopia – sobre a qual discorrerei mais à frente.

Naquele momento, toda a equipe contou com apenas 5 dias de filmagem para realizar as imagens de referência, já que a produção envolve uma enorme quantidade de verba, destinada a aluguel de equipamento, contratação de atores, sets de filmagem e muitas outras pessoas, encarregadas da edição e organização de todo o processo.

Em um artigo que fiz sobre o videogame Flashback, expliquei mais sobre o processo de animação com a técnica de rotoscopia. Esta é uma das páginas da revista Game Senior, cuja diagramação foi realizada pelo queridíssimo Mano Beto. Fonte: Revista Game Sênior.

Em um artigo que fiz sobre o videogame Flashback, expliquei mais sobre o processo de animação com a técnica de rotoscopia. Esta é uma das páginas da revista Game Sênior, cuja diagramação foi realizada pelo queridíssimo Mano Beto. Fonte: Revista Game Sênior.

Porque é inovador?

A utilização da técnica de pintura à óleo para uma animação não é algo que foi criado pela equipe de produção de Loving Vincent, já que o animador russo Alxandr Petrov já utilizava a pintura à óleo sobre vidro para fazer suas animações desde 1989, quando criou “Korova”. Neste mesmo sentido, a ideia de utilização de filmagem de atores reais (chamada Rotoscopia) para a criação de movimentos mais fluidos aos personagens já era utilizada em meados do século XX por produtoras como a Disney – cujo vídeo que mostra o processo de captação de imagens com atores, eu colocarei logo abaixo. Posteriormente, esta mesma técnica foi muito adaptada para a criação de outros tipos de produção audiovisual, como os jogos de videogame Flashback, Prince of Persia e Another World.

No início de 2000, a técnica da rotoscopia foi retomada para a criação do filme Waking Life, realizado pelo diretor Richard Linklater que, posteriormente, utilizou a mesma técnica para gravar um roteiro baseado na ficção-cientifica da década de 1970 “Scanner Darkly”.

Na esquerda podemos ver uma cena de Scanner Darkly, que utiliza a mestam técnica da rotoscopia para sua criação. Já a direita, podemos ver as linda cores de O Velho e o Mar, criada com a técnica de pintura a óleo sobre tela. Referências que são muito interessantes de se conhecer para entender melhor esta animação. Fonte:

Na esquerda podemos ver uma cena de Scanner Darkly, que utiliza a mestam técnica da rotoscopia para sua criação. Já a direita, podemos ver as linda cores de O Velho e o Mar, criada com a técnica de pintura a óleo sobre tela. Referências que são muito interessantes de se conhecer para entender melhor Lovin Vincent, quando sair! Fonte: Retrosmakblog e Beto Piccolo

Mas, se estas técnicas já existiam, qual foi, afinal, a inovação apresenta pela equipe da diretora Dorota Kobiel?

Acontece que, ao utilizarem a pintura sobre tela como base para os planos de fundo e animações de personagens foi introduzda uma forma animação repleta de cores e texturas que marcam o universo das pinturas. Entretanto, acredito eu, que a novidade oferecida por este estúdio consiste num aperfeiçoamento do processo de construção e captura dos frames, criado e patenteado pela BreakThru Productions.

Juntos eles criaram a Painting Animation Work Stations (PAWS) que consistiu na criação de um espaço de trabalho capaz de abrigar 30 pintores. Esta organização se deu de forma a permitir que estes artistas, especializados em uma técnica tão singular, dividissem um mesmo espaço de trabalho e, ao mesmo tempo, contassem com a forma de iluminação que melhor atendesse as necessidades de seus processos criativos. Tal fato possibilitou, também, maior facilidade no processo de digitalização, uma vez que a comparação entre os frames fosse efetuada com maior agilidade.

Fotografia que demonstra o espaço PAWS, organizado para a realização da animação. Fonte: Site oficial Loving Vincent

Fotografia que demonstra o espaço PAWS, organizado para a realização da animação. Fonte: Site oficial Loving Vincent

Além disso, a gravação com os atores contou com um detalhado trabalho de direção de figurino, realizado por Dorota Roqueplo que, segundo o site do Instituto Polonês de Cinema, se formou pela Paris School of Design and Costume (Escola Paris de Design e Figurino) e iniciou seus trabalhos em comerciais e no teatro, ainda durante a década de 1980. Com o tempo sua reputação cresceu e Roqueplo recebeu propostas para aconselhar políticos na criação de suas imagens, além de trabalhar no cinema, teatro e televisão.

Quando foi entrevistada para o making of da primeira semana de gravações, a diretora de figurino falou sobre a importância do seu trabalho e sobre a forma como procurou retratar a indumentária da época, com auxílio de uma paleta repleta de referências ao pintor. Eu acredito que um figurino precisa carregar a verdade de seu tempo, mesmo se utilizado em um filme de animação. Mesmo que esteja em segundo plano, Van Gogh foi disposto em um contexto de um tempo determinado. Portanto, se voltarmos à este período – mesmo que através da pintura – nós precisamos tangenciar a verdade.” (Livre tradução)

Dorota-Roqseplo - diretora-de-figurino-costume-designer

NÃO É COISA PEQUENA, PESSOAL!

Por tudo isso que eu falei para você é que estou realmente muito ansioso para ver esta animação mas, enquanto isso, tudo que podemos fazer é esperar e ver se esta obra estára no nosso querido ANIMAMUNDI, que acontece todo ano.

Este é um dos melhores frames selecionados para serem vendidos na loja virtual do site oficial de Loving Vincent. Lá você pode, também, encomendar um retrato seu, feito por um destes fantásticos artistas que estão a participar da animação, por apenas 2.150 euros. FONTE: Loving Vincent

Este é um dos melhores frames selecionados para serem vendidos na loja virtual do site oficial de Loving Vincent. Lá você pode, também, encomendar um retrato seu, feito por um destes fantásticos artistas que estão a participar da animação, por apenas 2.150 euros. FONTE: Loving Vincent

Este artigo foi realizado em 2 dias e, por este motivo, sempre haverão lacunas para poder explicar a complexidade deste trabalho. De qualquer forma, fiz o meu melhor para poder oferecer uma perspectiva mais abrangente e vídeos e imagens diferentes à vocês. Não foi nada fácil, mas realizar este tipo de trabalho investigativo é algo que realmente amo fazer!

Espero que vocês gostem deste post e realizem suas próprias pesquisas a partir de então.

Um grande abraço Paleonerd

Referências audiovisuais:

 

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerd

Me chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd

Leave a Reply