Uma mulher contra Hitler – Grupo Rosa Branca

Uma mulher contra Hitler – Grupo Rosa Branca

Enquanto havia centenas de bombas, tanques e armas lutando contra o regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial a artilharia pesada não era o único método de combate. Houve um grupo de resistência liderado por uma mulher chamado de “Rosa Branca” (Die weiße rose) que combatia Hitler com…PALAVRAS!

Abaixo, a imagem do primeiro panfleto produzido e distribuído pelo grupo. Você pode ler a transcrição (em inglês) desta e das demais edições aqui.

Paleonerd_leaflet 1

Panfleto do Grupo Rosa Branca, Nº1, pág. 1

Paleonerd_Leaflet 1 page 2

Panfleto do Grupo Rosa Branca, Nº1, pág. 2

Em junho de 1942 os irmãos Sophie e Hans Scholl, junto de seus amigos Willi Graf, Alexander Schmorell, e Christoph Probst, formaram o grupo chamado Rosa Branca com o intuito de protestar contra os atos hediondos de genocídio e alertar a população alemã, em especial os jovens. O grupo escreveu sob a alcunha do Rosa Branca uma série de panfletos que revelavam as atrocidades do regime nazista que eram distribuídos por seus membros – uma tarefa bem arriscada. Com o tempo eles encontraram outros estudantes que se identificavam com a causa e conseguiram estabelecer uma rede de contatos presente nas cidades de Minique, Hamburgo, Friburgo, Berlin e até Viena, na Áustria.

Paleonerd_stuff_in_street_scholls_and_probst_1942

A imagem mais conhecida dos principais integrantes do Rosa Branca. Irmãos Scholls e Christoph Probst. Fonte

Em 18 de fevereiro de 1943 os irmãos levaram uma maleta cheia de panfletos (edição nº 6) à Universidade de Munique e deixaram algumas pilhas ao longo dos corredores à disposição dos alunos. Hans e Sophie já estavam saindo do prédio quando mudaram de ideia e decidiram jogar o restante dos panfletos do alto da escadaria da Universidade. A atitude corajosa – mas nada discreta – chamou a atenção da equipe de segurança do prédio que imediatamente chamou a polícia.

Paleonerd_Sophie-Scholl-2

Cena do Filme “Sophie Scholl – last days” (2005) em que Sophie foi capturada pela Gestapo.

Os Scholls foram levados presos pela Gestapo naquela noite e condenados por traição. Quatro dias depois depois do incidente da escadaria, no dia 22, os irmãos foram encaminhados à gui-lho-ti-naaa! Os demais integrantes do grupo de resistência tiveram o mesmo fim no mesmo ano.

white_rose_pics

Membros executados pelo regime nazista em 15 de fevereiro de 1943. Fonte

Contudo, foi a Rosa Branca que “riu por último”: um dos panfletos foi contrabandeado por um dos estudantes da Universidade para fora do país e interceptada pelas forças Aliadas. Em Julho de 1943 os aviões dos Aliados soltaram milhões de cópias desse panfletos por toda a Alemanha, disseminando amplamente a mensagem do grupo.

“Não vamos silenciar, somos a consciência pesada de vocês, o Rosa Branca não vai deixar vocês em paz!”, trecho do o quarto panfleto do grupo.

Essas palavras são válidas até hoje: os Scholl e seus amigos tiveram a coragem de defender as próprias convicções e resistir. Poucos foram tão corajosos na época.

Atualmente, os membros do grupo são reconhecidos como verdadeiros heróis e homenageados pela integridade e coragem que tiveram ao enfrentar o poder do regime nazista. A Universidade de Munique, reuniu numa exposição permanente de documentos e imagens relacionadas ao grupo, além de terem construído um monumento em sua homenagem, com a transcrição de seus panfletos grafadas em pedra e assentadas no calçamento da universidade.

Paleonerd_white-rose-monument

Exposição permanente na Universidade de Munique. Fonte

Paleonerd_bavaria-europe-germany-10603413-l

Monumento em homenagem ao Grupo Rosa Branca em Munique, no Parque Hofgarten.

 

Abaixo, vídeo disponível no Youtube com os trechos mais marcantes do filme Sophie Scholl – Last days. No Brasil, o filme chegou com o título “Uma mulher contra Hitler”. Vale a pena ver:

Via Mentalfloss

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

Bárbara GascóOlá, terráqueos! Sou Bárbara Gascó, conhecida também como Barbrão por minha conhecida habilidade em várias esferas, tipo faz-tudo =) e esposa do Sr. Denis Gascó, PaleoNerd. Sou Arquiteta e Urbanista e atuo na área desde 2012. Paralelamente, escrevo sobre Arquitetura+História e, como única representante do sexo feminino neste navio pirata, pautas acerca de questões sobre Feminismo e Igualdade de gêneros.

View all posts by Bárbara Gascó

Leave a Reply