Ricardo III: o rei das raposas…

Ricardo III: o rei das raposas…

Por Luiz Nase

O nobre Ricardo III foi um rei inglês que governou durante, o que talvez seja o período mais conturbado da história britânica, a guerra das Duas Rosas. Evento que durou trinta anos e marcou uma disputa entre duas famílias tradicionais pelo trono inglês. Os York, representados pela rosa branca, e os Lancaster, representados pela rosa vermelha. Em uma trama bem digna de Game of Thrones, houve uma série de usurpações ao trono da monarquia mais icônica da face do planeta.

E você que achava que golpe era uma coisa somente de Brasil, e de outras Repúblicas das Bananas, estava redondamente enganado.

Tudo ocorreu como uma consequência da guerra dos Cem Anos e um fracasso político por parte do rei Henrique VI, responsável pela perda da maior parte das terras conquistadas junto aos franceses. Um governo fraco, detestável e prestes a cair. Cobiçado pelas duas famílias mais influentes e descendentes dos lendários Plantagenetas, dinastia real mais popular até então.

Batalha de Bosworth - Tida como a última batalha significativa da Guerra das Rosas, este conflito ocorreu em 1485 e terminou com a vitória de Henrique Tudor, então Earl de Richmon. Este viria a se tornar o primeiro monarca da dinastia Tudor. Pintura realizada por  Philip James de Loutherbourg (1740–1812) Fonte: Wikimedia

Batalha de Bosworth – Tida como a última batalha significativa da Guerra das Rosas, este conflito ocorreu em 1485 e terminou com a vitória de Henrique Tudor, então Earl de Richmon. Este viria a se tornar o primeiro monarca da dinastia Tudor. Pintura realizada por Philip James de Loutherbourg (1740–1812) Fonte: Wikimedia

O governo de Ricardo III foi muito breve (1483 -1485) devido a convulsões sociais ocorridas sobre o seu comando. Acusado de usurpar o trono inglês, através da morte de seus sobrinhos considerados ilegítimos, não teve paz e acabou morto na Batalha de Bosworth Field, vencida pela política e não pela bravura. Encerrou-se assim oficialmente a Idade Média Britânica e a Guerra das Rosas.

O último rei medieval foi demonizado, e retratado como um aleijado corcunda assassino nas obras de Shakespeare. A história mostra que a demonização de um adversário político é um fato muito comum, inclusive nos dias atuais. É só olhar para os grupos responsáveis por bater panelas.

A ossada de Ricardo III foi largamente estudada e  até mesmo sua alimentação foi definida pelos pesquisadores, como mostramos em um antigo texto nosso. De qualquer forma, a imagem criada por Shakespeare, em torno deste personagem é algo muito difícil de desconstruir.

A ossada de Ricardo III foi largamente estudada e até mesmo sua alimentação foi definida pelos pesquisadores, como mostramos em um antigo texto nosso. De qualquer forma, a imagem criada por Shakespeare, em torno deste personagem é algo muito difícil de desconstruir. Fonte da Imagem: IFLScience

Demônio, fora, impeachment, canalha…

Em seu lugar surgiu Henrique Tudor, tornando-se Henrique VIII, o primeiro monarca dos Tudors. Dinastia retratada heroicamente nos contos do mesmo Shakespeare.

Ricardo III nem chegou a ter um célebre enterro digno de um rei. Seus adeptos tiveram de esconder seu corpo com o medo de que fosse usurpado, violado por opositores. E assim, perdeu-se como tempo tornando-se uma das figuras políticas mais desprezíveis da história britânica. Seus restos mortais foram encontrados em um parque, em um estacionamento na cidade de Leicester, em 2013.

Um organograma explicativo que procura mostrar o que foi encontrado no esqueleto de Ricardo III, em comparação com os mitos criados sobre este personagem histórico. Sim! TÁ EM INGLÊS! Fonte: TheTimes.UK

Um organograma explicativo que procura mostrar o que foi encontrado no esqueleto de Ricardo III, em comparação com os mitos criados sobre este personagem histórico. Sim! TÁ EM INGLÊS! Fonte: TheTimes.UK

Mas esse não foi o fim da história.

Uma nova corrente historiográfica revisou tal perspectiva. Segundo essa teoria, este rei sofreu um golpe arquitetado pela dinastia Tudor, e Henrique VII foi o responsável pelo assassinato dos sobrinhos de Ricardo III, logo após a queda do mesmo em Bosworth. Ou seja, os meninos acabaram morrendo somente depois do golpe, o que livra a culpa do Ricardão.

Em 26 de março de 2015 foi enterrado como um rei na catedral dessa mesma Leicester.

Essa foi a redenção de um rei? Ainda não.

Assim como em um conto de fadas, ou simplesmente algo que beire a ficção, nesse mesmo ano um time da cidade de Leicester, que nunca havia ganhado nada na vida – nem no Fifa – começou a campanha mais audaciosa do futebol. Em um país com uma liga recheada de clube bilionários, o pequeno Liecester City (as raposas) fez uma campanha cinematográfica. Com 23 vitórias, 11 empates e 3 derrotas, o time da cidade do rei Ricardo III sagrou-se campeão e recebeu sua faixa em pleno King Power Stadium (Estádio do Poder Real).

hi-res-5abff4db93135e3f45651cac1a40058e_crop_north

Fonte: BBC.UK

Sendo coincidência ou não, a façanha tomou conta de todos os noticiários do mundo. Uma história que envolve a redenção de um rei e o orgulho de uma cidade. Algo, digno da “Dança dos Deuses” de Hilário Franco Júnior.

Ricardo III retornou para guiar as suas raposas…

https://www.youtube.com/watch?v=ZXAKV5RcIUE

 

COMENTÁRIOS

Desembuche aqui:

Share this:

About the Author

PaleoNerdMe chamo Denis e sou professor de História. Concluí minha Graduação em Licenciatura em História na Universidade Estadual Paulista – UNESP, Câmpus de Assis-SP em 2009. Em 2014 concluí minha Especialização em Educação, Arte e Multimeios pela Unicamp. Atuo na área desde 2010, ministrando aulas para o Ensino Fundamental, Ensino Médio, Cursos Pré-Vestibulares, assim como, palestras e oficinas para jovens e adultos.

View all posts by PaleoNerd

Leave a Reply